Uma equipa missionário da diocese de Leiria-Fátima está no Sumbe, em angola, desde agosto de 2006. Em Março fora celebrada a geminação entre estas duas dioceses, para acompanhar a missão do Gungo
Uma equipa missionário da diocese de Leiria-Fátima está no Sumbe, em angola, desde agosto de 2006. Em Março fora celebrada a geminação entre estas duas dioceses, para acompanhar a missão do GungoEm agosto de 2006 partiu o primeiro grupo, constituído por dois padres e três leigas. Tinha como prioridade construir uma casa nos arredores da cidade do Sumbe para apoio ao trabalho a realizar no Gungo, uma região algo distante. O mau estado das picadas torna-a ainda mais isolada. Para apoio ao projecto e obra da casa foram enviados dois contentores com materiais de construção e outros bens.
Os contentores chegaram em Setembro e em Outubro deu-se início à construção da casa. Sendo angola um país que acaba de sair de uma longa guerra civil, os meios e materiais à disposição são escassos e frágeis. a construção da casa prolongou-se até ao passado mês de agosto devido à opção de construir por administração directa para reduzir os custos.
a equipa missionária foi apresentada, nessa altura, à comunidade do Gungo. a região é muito vasta, com uma área superior a 2. 100 quilómetros quadrados, habitada por cerca de 25. 000 pessoas dispersas por mais de cem aldeias. É uma zona de mato, sem água potável, nem energia eléctrica nem comunicações.
O acompanhamento da comunidade era feito apenas ao fim-de-semana, com apoio nas áreas da pastoral, promoção feminina, saúde e educação. ainda dentro do primeiro ano, chegou o jipe, cuja aquisição foi possível graças à Campanha das Peças feita junto das crianças das escolas e catequeses, Campanha dos Parafusos, feita através dos mealheiros distribuídos em lugares públicos, ajudas pessoais e ainda ao apoio da MIVa, uma organização austríaca que ajuda as missões.
No fim do primeiro ano foi renovada a equipa e o iniciou uma nova fase com o apoio mais directo e permanente à comunidade do Gungo. Neste momento a equipa é constituída pelo padre David Ferreira, Sónia Cruz (ambos transitaram do primeiro ano), Lina Teixeira e Sara Moniz que partiram em missão por um ano em Julho deste ano. Deixaram tudo para ir em missão e encontram-se em regime de voluntariado puro, sem receber qualquer remuneração económica.
a comunidade do Gungo é muito pobre, sem assistência médica, e onde os medicamentos são de difícil acesso. Tem poucas escolas e apenas uma delas lecciona até ao sexto ano. a equipa missionária desloca-se ao Gungo por períodos de duas ou três semanas e ali permanece vivendo nas mesmas condições das pessoas que lá habitam em casas muito pequenas, feitas de adobes e cobertas de capim. O trabalho vai sendo organizado de acordo com as solicitações da própria comunidade. Devido às chuvas uma grande parte da picada principal ficou intransitável o que faz com que os missionários tenham que fazer grandes caminhadas a pé para chegar a algumas das aldeias principais.
Para conhecer melhor o grupo missionário que promove este projecto pode assistir a uma apresentação pública, que terá lugar no sábado, 27 de Outubro, na aula Magna do Seminário de Leiria, às 21horas. Entrada pelo lado da igreja.
Fotos da nova casa e da picada para o Gungo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *