a emoção ecoou mais alto e as palavras de agradecimento pelo trabalho efectuado pelo padre Silvanus Stock, fizeram-se sentir
a emoção ecoou mais alto e as palavras de agradecimento pelo trabalho efectuado pelo padre Silvanus Stock, fizeram-se sentir a missão é também partida. Para o missionário tanzaniano a trabalhar em Portugal, há seis anos, o campo de missão escreve-se com outro idioma: o polaco.
a singela festa de agradecimento e despedida promovida pelos jovens juntou os Jovens Missionários da Consolata, o grupo de jovens da Nogueira da Maia, o grupo de jovens de Barcelos e o grupo Nova estrela (paróquia de Valongo). Sem terem trabalho directamente com o padre Silvanus, o grupo de Escariz marcou também presença no momento festivo.
Os jovens são os meus filhos brancos e eu tenho pena de deixá-los, referiu o padre Silvanus nas palavras de dirigiu a mais de uma centena de pessoas. O missionário apontou o carinho, o amor, a amizade que encontrou junto das pessoas, na comunidade de Águas Santas.
a alegria, o grande coração (do tamanho do mundo onde cabemos todos) do missionário foram características assinaladas pelos Jovens Missionários da Consolata. Para os jovens de Barcelos quando soubemos que ia partir (padre Silvanus) o nosso coração ficou destroçado. Os jovens do grupo Nova estrela lembrou a preciosa ajuda que o sacerdote tanzaniano sempre lhes deu. Também os sacerdotes da comunidade marcaram esta despedida com a entrega do Evangelho em língua polaca.
O superior da Consolata, padre Norberto Louro assinalou a falta que o missionário vai fazer na província portuguesa, depois de assinalar as diferenças e semelhanças entre Portugal e a Polónia. Precisava muito de um irmão gémeo do Silvanus para ficar aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *