a Junta Militar no poder anunciou hoje, 7 de Outubro, novas detenções. apesar das críticas internacionais de que tem sido alvo devido à repressão violenta, foram presas mais 78 pessoas
a Junta Militar no poder anunciou hoje, 7 de Outubro, novas detenções. apesar das críticas internacionais de que tem sido alvo devido à repressão violenta, foram presas mais 78 pessoasO jornal oficial do regime, New Light of Myanmar, escreve que as últimas prisões elevam para cerca de mil o número de pessoas que estão em centros de detenção. São acusadas de participar em actos contra o regime. Pelo menos 135 monges budistas, que lideraram as manifestações pró-democracia, continuam detidos, de acordo com a mesma fonte.
O jornal não indica quando foram feitas as novas detenções. Porém, grupos dissidentes e governos de outros países afirmam que são mais de seis mil as pessoas detidas depois das manifestações de Setembro. Há 45 anos no poder, a Junta Militar da Birmânia enfrenta as maiores manifestações dos últimos 20 anos.
a Junta militar admitiu a morte de 10 pessoas na repressão das manifestações, incluindo um jornalista japonês. Mas diplomatas e dissidentes afirmam que terão sido mortas cerca de 200 pessoas.
Entretanto o número de militares nas estradas foi reduzido. a Junta acredita que as manifestações dos monges já não representem um perigo sério. Foram removias as últimas barricadas do centro da eis-capital. Mas as poucas pessoas que andam na rua revelam algum medo. a Internet está cortada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *