Os emigrantes portugueses residentes em Dusseldorf, na alemanha, vão manifestar-se contra a falta de professores de português
Os emigrantes portugueses residentes em Dusseldorf, na alemanha, vão manifestar-se contra a falta de professores de portuguêsEm causa está o não preenchimento de seis vagas deixadas por professores que se reformaram, em Dusseldorf, Frankfurt e Estugarda. O governo alemão era quem suportava as despesas dos professores.
Desde 2000 que o governo alemão está a avisar que vai deixar de suportar os custos com os professores de línguas maternas que se reformem ou decidam ir para outro país, salienta Vítor Estradas, da Federação das associações Portuguesas na alemanha (FaPa).
até agora era o governo alemão que suportava as despesas dos professores. Este responsável adianta que o governo português já tem conhecimento há muito tempo que aqueles professores se iriam reformar, por isso, já devia estar preparado, disse à agência Lusa .
Se não acontecer nada, 900 alunos portugueses vão ficar sem aulas. Faltam colocar seis docentes. Pelo que sei, há 45 mil professores desempregados. Não sei se podem ser nomeados ou não, mas podiam ser uma solução, frisou o dirigente. Há ainda muitos professores na alemanha com horários incompletos que estão disponíveis para trabalhar mais horas, se o governo as pagar.
a FaP a organizou por isso uma manifestação para sábado, 15 de Setembro, que se realizará em frente ao consulado de Portugal em Dusseldorf, onde serão exigidas medidas imediatas para resolver o problema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *