Esta quarta-feira, 5 de agosto, a congregação em Lisboa vai assinalar os dez anos da morte de madre Teresa de Calcutá, pelas 18h, com a celebração eucarística na Igreja Maximiliano Kolbe
Esta quarta-feira, 5 de agosto, a congregação em Lisboa vai assinalar os dez anos da morte de madre Teresa de Calcutá, pelas 18h, com a celebração eucarística na Igreja Maximiliano Kolbe Madre Teresa foi uma santa, uma pessoa que dedicou a sua vida a Deus e aos mais desfavorecidos. Nada poderia ser melhor do que uma missa para assinalar os dez anos do seu desaparecimento , assinala a irmã anne Marie, da congregação em Lisboa. agnes Goinzha Bojaxhiu, mundialmente conhecida como Madre Teresa de Calcutá, morreu a 5 de Setembro de 1997 vítima de ataque cardíaco aos 87 anos, tendo dedicado a maior parte da sua vida aos mais pobres. Filha de pais albaneses, para os mais pobres de entre os pobres Madre Teresa era simplesmente o símbolo do amor e carinho, tendo ficado para a história como o anjo dos pobres .
Madre Teresa de Calcutá esteve em Portugal em Setembro de 1986, a convite da ordem religiosa, que tem em Setúbal uma casa desde 1982 e visitou o Santuário de Fátima, cumprindo assim uma recomendação do Papa João Paulo II. Nos últimos anos de vida a religiosa interrompeu várias vezes o seu trabalho devido ao debilitado estado de saúde, tendo sofrido entre 1983 e 1989 dois ataques cardíacos.
Dois anos depois da sua morte, João Paulo II determinou o início do processo de beatificação de Madre Teresa, dispensando o prazo de cinco anos após a morte estabelecido pelo Vaticano. a 19 de Outubro de 2003 foi beatificada tendo por base o milagre da cura, em 1998, de Mónica Besra, uma mulher oriunda do estado indiano do Bengala Ocidental que sofria de um tumor no abdómen.
Em Portugal, 16 irmãs da mesma congregação distribuídas pelos centros existentes em Lisboa, Setúbal e Faro acolhem sem-abrigo, crianças abandonadas, deficientes e idosos. as irmãs fazem também visitas a famílias carenciadas, ajudando a pagar rendas e alimentação com os donativos que recebem e contando com a ajuda de voluntários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *