O governo brasileiro reconheceu aos Índios das tribos Guarani e Tupiniquin o direito à propriedade permanente de uma área de 18 mil hectares
O governo brasileiro reconheceu aos Índios das tribos Guarani e Tupiniquin o direito à propriedade permanente de uma área de 18 mil hectares a terra em causa é explorada pela multinacional aracruz Celulose, no estado do Espírito Santo. O decreto que reconhece o direito dos índios é do Ministro da Justiça, Tarso Genro, publicado no Diário Oficial da União. Deste modo, o governo de Lula da Silva coloca fim a um conflito judicial que se arrastava há mais de 20 anos.
Localizada a 79 quilómetros de Vitória, capital do estado, a terra foi palco de conflitos violentos entre polícias, seguranças da aracruz e indígenas. a Fundação Nacional do Índio (Funai) deverá proceder à demarcação definitiva da área indígena. Posteriormente será homologada pelo presidente brasileiro.
Este passo é, segundo o presidente da Funai, Márcio Meira, um reconhecimento do governo brasileiro de um direito histórico dos territórios ocupados pelos índios. Os indígenas habitam sete aldeias (quatro de tupiniquins e três de guaranis), dispersas por um total de 7. 560 hectares que, juntamente com outros 11 mil em disputa, totalizm 18. 027 hectares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *