O activista dos direitos humanos angolano, Marcos Mavunga disse ao Público ter sido impedido de tomar o avião da TaP de Luanda para Lisboa
O activista dos direitos humanos angolano, Marcos Mavunga disse ao Público ter sido impedido de tomar o avião da TaP de Luanda para LisboaNa altura foi-lhe apreendido o passaporte, sendo-lhe explicado que havia instruções nesse sentido, dadas por entidades superiores .
Para o assistente universitário trata-se de uma forte perseguição em Cabinda e em toda a angola em relação aos que pensam de forma diferente das autoridades. Marcos Mavunga dirigiu-se aos Serviços de Emigração e Fronteiras, onde lhe disseram desconhecer o que se passara, aconselhando-o a voltar hoje, 25 de Julho,
O Público on line adianta ainda que três jovens detidos, dia 14, em Cabinda foram condenados a penas suspensas de dois a seis meses de prisão. Paulo Mazungo, andré Conde e Domingos Conde manifestaram-se durante a celebração eucarística presidida pelo prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, cardeal Ivan Dias, criticando o bispo luandense que dirige a diocese local, Filomeno Vieira Dias.