a Santa Sé não assinou a Convenção internacional sobre os direitos das pessoas portadoras de deficiências. Em causa está uma cláusula que, usada, justifica o aborto de portadores de deficiências
a Santa Sé não assinou a Convenção internacional sobre os direitos das pessoas portadoras de deficiências. Em causa está uma cláusula que, usada, justifica o aborto de portadores de deficiênciasO observador permanente da Santa Sé na ONU, Celestino Migliore, já havia frisado a importância de garantir a protecção dos direitos da dignidade e do valor da vida das pessoas deficientes, um princípio que impulsionara a Santa Sé, inicialmente, a se unir aos trabalhos da Convenção.
No entanto, uma cláusula sobre as práticas reprodutivas, viola esse princípio, segundo o purpurado. a própria Convenção, criada para proteger os deficientes das discriminações pode acabar por ser usada para negar seu primeiro direito, que é o direito à vida , realçou.
a Convenção internacional sobre os direitos das pessoas portadoras de deficiências foi discutida durante quatro anos e envolveu 50 países. Na sua redacção colaboraram muitas associações de deficientes.