Livro
A nova biblioteca vai substituir a atual, “construída no período colonial”, e “que não responde às atuais necessidades dos cidadãos” | Foto: DR

Uma biblioteca com dez mil livros e capacidade para mil leitores vai ser construída este ano, na província do Cuanza-Norte, em Angola, graças à generosidade de um grupo de académicos naturais daquela região. João Diogo Gaspar, governador da província, sublinhou que a nova biblioteca irá dar resposta à densidade populacional e à expansão do ensino, que conta agora com duas instituições de nível superior.

O novo espaço deverá ainda contribuir para dinamizar o ensino e a aprendizagem na província, e facilitar a elaboração de trabalhos de monografia, teses e obras científicas. A nova biblioteca vai substituir a atual, “construída no período colonial”, e “que não responde às atuais necessidades dos cidadãos”, assinalou João Diogo Gaspar em declarações à agência Angola Press, mas que ainda assim beneficiou de obras de restauro e apetrechamento, assim como do enriquecimento da sua bibliografia, numa iniciativa do mesmo grupo de académicos naturais e amigos do Cuanza-Norte.

Em representação dos benfeitores, Manuel Bengui Maqueledende explicou que a nova biblioteca “visa contribuir para atenuar as dificuldades da classe estudantil, bem como cultivar e incentivar o hábito pela leitura”. Além da reabilitação da atual biblioteca, este grupo disponibilizou quatro computadores, 486 obras bibliográficas de vários autores e temas, ligação à Internet, assim como outros meios para permitir o melhor funcionamento da biblioteca. O grupo manifestou a intenção de continuar a trabalhar com o governo do Cuanza-Norte para o desenvolvimento da província. A atual biblioteca provincial do Cuanza-Norte tem cerca de duas mil obras bibliográficas e capacidade para quase 30 leitores.