“O episódio de ontem contra o Papa foi intolerante, estúpido e parcial”, afirmou o ministro da Justiça, Clemente Mastella referindo-se aos panfletos lançados pelas janelas do jornal Il Manifesto.
“O episódio de ontem contra o Papa foi intolerante, estúpido e parcial”, afirmou o ministro da Justiça, Clemente Mastella referindo-se aos panfletos lançados pelas janelas do jornal Il Manifesto. Duzentos papéis foram lançados das janelas da redacção minutos antes da passagem do Papa pela rua, para a tradicional oferta de flores à virgem da Imaculada Conceição.
Esta situação foi criticada pelo ministro que frisou a gravidade da mesma por ter jornalistas envolvidos.
O senador do partido de direita aliança Nacional, alfredo Mantovano, disse que o Il Manifesto é uma perigosa expressão do fundamentalismo laico.
O director do jornal italiano, Gabriele Polo assumiu a responsabilidade pelo ocorrido. Foi uma iniciativa espontânea com a qual concordo plenamente. Não sei quem foi e não quero saber, porque, mesmo se soubesse, não diria.
Os panfletos traziam a primeira página do Il Manifesto de 20 de abril de 2005, dia seguinte à escolha de Bento XVI, com o título: O pastor alemão, seguido da frase Deixe-nos em Pacs.
a frase fazia um jogo com a palavra Paz e a sigla Pacs, do Pacto Civil de Solidariedade, que regula as uniões estáveis, tema de debate na Itália após o anúncio pelo governo de centro-esquerda da preparação de uma lei para regulamentar os direitos dos casais sem união oficializada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *