a Princesa do sertão está doente. alguém está preocupado com a sua saúde. Estão a destruir todas as nascentes de água. é preciso intervir e inverter a situação.
a Princesa do sertão está doente. alguém está preocupado com a sua saúde. Estão a destruir todas as nascentes de água. é preciso intervir e inverter a situação. Um dia alguém chamou-a princesa. afinal o piropo resultou! Hoje, mais do que pelo próprio nome, Feira de Santana, a segunda cidade do estado da Baía em população (600 mil habitantes), depois de Salvador, é conhecida pelo sugestivo título de Princesa do Sertão.
a nobreza do título tão badalado por escritores, jornalistas e, sobretudo, políticos, corre sérios riscos de passar à história como mais uma fábula: Era uma vez uma princesa… . Isto porque estão a destruir todas as nascentes e quase todas as lagoas da cidade.
a poluição do lençol freático, bem como a degradação dos rios, que compõem a sua bacia hidrográfica, estão igualmente em acelerado processo de degradação.
O rio Jacuip, que alimenta o lago da Pedra do Cavalo que abastece Feira de Santana e toda a sua região metropolitana, foi considerado pelos pesquisadores do projecto Brasil das Águas, o terceiro rio mais poluído do Nordeste.
Quem lança o grito é o Movimento Água é Vida (MaV). Todo o mundo – é frequente ouvir-se nos cantos e nas esquinas – conhece a situação. E é verdade. Basta abrir a torneira em casa ou mesmo dando um passeio pela cidade e periferia, para constatarmos: a princesa está imunda, poluída, fedorenta… assim, não sobrevirá por muito tempo. até o transeunte mais distraído vê isso, mas… a questão é essa: alguém que grite e, principalmente, que faça algo.
Foi com esse intuito que o MaV promoveu, de 24 a 26 de Novembro, a I Conferência Sobre Água e Saneamento ambiental de Feira de Santana, subordinada ao tema: O Uso Sustentável de Recursos Hídricos. Saber Cuidar: Uma Questão de Consciência!.
É com a finalidade de sacudir a consciência da população para a grave doença que afecta a sua princesa, que a Conferência pretende fazer chegar à Prefeitura um documento. Nele exige uma intervenção imediata para inverter a situação. Claro que isso não basta. Toda a comunidade precisa de mobilizar-se e enfrentar o grave problema que a todos ameaça.
De momento, é caso para dizer que, afinal, existe alguém preocupado com a saúde da Princesa do Sertão. Chama-se Movimento Água é Vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *