O alto-comissariado da Organização Nações Unidas para os Direitos Humanos responsabilizou as forças armadas sudanesas pelos ataques sangrentos à população civil a oeste da região de Darfur.
O alto-comissariado da Organização Nações Unidas para os Direitos Humanos responsabilizou as forças armadas sudanesas pelos ataques sangrentos à população civil a oeste da região de Darfur. Os observadores das Nações Unidas adiantam que militares e membros da milícia Janjaweed, próxima do governo, participaram, a 11 de Novembro, num ataque ocorrido na localidade de Sirba (45 quilómetros a norte de al Geneina, a capital de Darfur Ocidental).
Mas as autoridades sudanesas negaram o envolvimento da milícia neste ataque e asseguraram que as forças armadas apenas responderam a um ataque anterior, realizado por rebeldes do Movimento de Justiça e Igualdade. Não foram encontradas provas que apoiem esta versão e o testemunho de várias pessoas indica que os civis e respectivas propriedades foram os alvos dos ataques, refere o alto comissariado.
E mesmo se a explicação das autoridades fosse verdadeira, a resposta dos militares foi indiscriminada e desproporcional, adianta este responsável.
Os ataques causaram a morte de 11 civis. Oito pessoas foram baleadas e pelo menos duas mulheres foram violadas, segundo informações recolhidas pelos observadores do alto comissariado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *