No bairro do Zambujal, às portas de Lisboa, uma pequena comunidade católica reúne-se para a missa dominical. aí­ trabalham os missionários, missionárias e leigos da Consolata, com as Irmãs dominicanas.
No bairro do Zambujal, às portas de Lisboa, uma pequena comunidade católica reúne-se para a missa dominical. aí­ trabalham os missionários, missionárias e leigos da Consolata, com as Irmãs dominicanas. Mais de centena e meia de pessoas numa sala de 15 por 10 metros, mais ou menos. No rés do chão de um prédio, ambiente simples, repleto de cadeiras, tem na parede do fundo, ao centro, um grande crucifixo, um pequeno altar e, aos lados, as estátuas de Nossa Senhora de Fátima e de São José.
aproxima-se a hora da celebração, às 11. as pessoas cumprimentam-se, trocam notícias, enquanto o coro ensaia os cânticos da celebração, ao som das violas e tambores. Entra o celebrante com cinco minutos de atraso.
Composta de rostos de várias etnias e de vários continentes, a assembleia canta uma melodia africana. Cantámos um cântico que não entendemos, explica o sacerdote, José Matias. Convida-nos a dar graças a Deus pelo que Ele faz de bonito na nossa vida.
O ambiente começa a ficar pesado, apesar das quatro ventoinhas penduradas no tecto. O missionário explica o evangelho: Quando Jesus entre na nossa vida, os deuses representados pelo sol, pela lua e pelas estrelas são vencidos. E conclui: O mundo vai mudar para melhor.
Nesta altura anuncia que estão em curso reuniões para promover um projecto de recuperação do bairro do Zambujal. Queremos levar a cabo algumas acções para que o nosso bairro fique mais bonito.
O projecto de recuperação do bairro tem vários objectivos, como fazer o levantamento dos idosos, das crianças e jovens que não frequentam a escola, promover a limpeza do bairro pelos moradores e cuidar dos espaços verdes. Um plano ambicioso que estuda como sensibilizar e envolver a população.
a comunidade está a crescer. José Matias explica-nos que já há um terreno prometido para a construção da nova igreja. a comissão do IGaP (Instituto de Gestão da administração Pública), antes de ser dissolvida, lavrou em acta a doação do terreno. Falta ainda fazer a escritura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *