Idalina foi estrangulada, jesuíta foi assassinado a tiro. Corpo vem a caminho de aguiar da Beira.
Idalina foi estrangulada, jesuíta foi assassinado a tiro. Corpo vem a caminho de aguiar da Beira. Idalina Neto Gomes, 30 anos, missionária portuguesa ao serviço da associação Leigos para o Desenvolvimento e o padre Waldyr dos Santos, de 69 anos, jesuíta brasileiro foram assassinados esta madrugada, pelas 1h30 (hora local) durante um assalto por um grupo armado a Missão de Fonte Boa, a cargo da Companhia de Jesus.
Idalina era natural de aguiar da Beira, distrito da Guarda e encontrava-se a cumprir o segundo ano de missão depois de ter renovado o compromisso por mais um ano. Era a primeira vez que estava a fazer uma missão, afirma Hilário David, presidente dos Leigos para o Desenvolvimento.
Durante o assalto os três missionários portugueses tentaram fugir. a Idalina foi para um lado e os colegas, que foram por outro, encontraram mais tarde o corpo dela, refere antónio Hilário David.
a Idalina apresentava marcas de estrangulamento. Tudo aponta para que tenha sido essa a causa de morte. Também tinha uma ferida mas que não parecia de bala, mas sim de faca ou algum objecto pontiagudo, salienta.
O padre Waldyr dos Santos também morreu no assalto, baleado, e outro irmão jesuíta, moçambicano, José andrade, 76 anos, foi ferido a tiro.
Sérgio, um dos três missionários portugueses que se encontrava na missão, acompanhou o transporte do corpo de Idalina até Tete, onde a associação está a tratar do regresso da missionária para Portugal.
Idalina e Sérgio estavam na missão de Fonte Boa há um ano e tinham acabado de pedir para ficar mais um ano em Moçambique, pelo que iam regressar a Portugal em Novembro, para umas férias antes de iniciar o segundo ano de missão. Filipa, a terceira do grupo de missionários, já tinha completado os dois anos e estava de regresso marcado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *