O alto-comissário para a Imigração e Minorias étnicas (aCIME), Rui Marques, considera que Portugal “ainda tem muito que aprender no âmbito do acolhimento e integração de imigrantes”.
O alto-comissário para a Imigração e Minorias étnicas (aCIME), Rui Marques, considera que Portugal “ainda tem muito que aprender no âmbito do acolhimento e integração de imigrantes”. Na apresentação do relatório internacional da Organização para a Cooperação e de Desenvolvimento Económico (OCDE) Perspectivas das Migrações Internacionais, Rui Marques defendeu que, apesar do esforço que Portugal tem feito na integração de imigrantes, ainda tem muito que aprender quanto às questões relacionadas com a diversidade cultural e com o acesso ao trabalho e ao ensino.
O alto-comissário para a Imigração e Minorias Étnicas salientou que o objectivo é fazer de Portugal uma referência no quadro europeu da integração e acolhimento de imigrantes.
O relatório da OCDE refere que Portugal continua a utilizar o trabalho de imigrantes ilegais, que exercem sobretudo profissões nas áreas da construção e das limpezas.
ao mesmo tempo que as quotas estabelecidas pelo Governo para entrada de imigrantes ficam por preencher, os trabalhadores ilegais continuam a entrar no mercado de trabalho português, indica o documento. O responsável salientou que para combater a imigração ilegal deve ser feita uma penalização das entidades empregadoras que contratam mão-de-obra ilegal e das redes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *