até domingo, 5 de Novembro o tema das migrações e do desenvolvimento está no centro das atenções dos 22 chefes de estado e de governo que participam na XVI Cimeira Ibero-americana.
até domingo, 5 de Novembro o tema das migrações e do desenvolvimento está no centro das atenções dos 22 chefes de estado e de governo que participam na XVI Cimeira Ibero-americana. Nos trabalhos que decorrem no Uruguai e em que participam o presidente da República e o primeiro-ministro deverá ser aprovado um documento de princípios sobre esta matéria, que será denominado Declaração de Montevideu.
De acordo com fonte diplomática, a agência Lusa refere que o alcance político da Declaração de Montevideu não correspondeu inteiramente aos desejos mais maximalistas de países latino-americanos como o México, o Uruguai e a argentina, que têm grandes comunidades de emigrantes.
Nas negociações que decorreram ao longo das últimas semanas, o documento acabou por ser moderado por pressão negocial de Espanha e de Portugal – os únicos desta comunidade de 22 países que são sobretudo receptores de imigrantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *