Para ser santo, “não é preciso realizar obras extraordinárias, nem possuir carismas excepcionais”, afirmou o Papa na solenidade de Todos os santos.
Para ser santo, “não é preciso realizar obras extraordinárias, nem possuir carismas excepcionais”, afirmou o Papa na solenidade de Todos os santos. Para ser santo, não é preciso realizar obras extraordinárias, nem possuir carismas excepcionais, basta simplesmente servir Jesus, escutá-Lo, segui-Lo sem esmorecer perante as dificuldades, afirmou o Papa, durante a celebração do Dia de todos os santos.
O exemplo dos santos é, para nós, um encorajamento a seguir os mesmos passos, a experimentar a alegria de quem confia em Deus, porque a única e verdadeira causa de tristeza e de infelicidade – para o homem – é viver longe d’Ele, salientou, também.
a santidade – disse ainda Bento XVI – exige um esforço constante, mas é possível a todos porque, mais do que obra do homem, é sobretudo dom de Deus.
O Santo Padre assinalou ainda o Dia dos fiéis defuntos, a 2 de Novembro, para salientar que para nós, cristãos, vida eterna não indica só uma vida que dura para sempre, mas sim uma nova qualidade de existência, plenamente imersa no amor de Deus, que livra do mal e da morte e nos põe em comunhão sem fim com todos os irmãos e irmãs que participam do mesmo amor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *