Deus respeita a liberdade do homem. Mesmo na traição de Judas, esse papel negativo foi transformado num espaço de amor salvifico, diz o Papa.
Deus respeita a liberdade do homem. Mesmo na traição de Judas, esse papel negativo foi transformado num espaço de amor salvifico, diz o Papa. a traição de Judas permanece um mistério, mas embora evidenciando que as possibilidades de perversão do coração humano são verdadeiramente muitas, diz-nos que Jesus respeita a nossa liberdade, e espera a nossa disponibilidade ao arrependimento e á conversão, é rico de misericórdia e de perdão. Na habitual audiência das quartas-feiras, o Papa enumera os motivos que poderiam ter levado Judas a trair Jesus: entre o dinheiro e a tentação do diabo.
Quando pensamos no papel negativo desempenhado por Judas na história de Jesus, devemos inseri-lo na condução superior dos acontecimentos da parte de Deus. a sua traição levou à morte de Jesus mas Jesus transformou este tremendo suplício em espaço de amor salvifico, em entrega de si mesmo ao Pai, assinalou Bento XVI.
O Santo Padre falou sobretudo da liberdade de cada um que Deus respeita. as possibilidades de conversão do coração humano são verdadeiramente muitas. a única maneira de lhes obviar consiste em não cultivar uma visão das coisas apenas individualista, autónoma, mas pelo contrário, colocar-se sempre e de novo da parte de Jesus, assumindo o seu ponto de vista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *