Na terceira semana deste mês, de 16 a 22 de Outubro, deste Outubro missionário, os cristãos são convidados a meditar sobre a partilha.
Na terceira semana deste mês, de 16 a 22 de Outubro, deste Outubro missionário, os cristãos são convidados a meditar sobre a partilha. O nosso tempo não faz excepção e o amor
ocupa o centro da busca humana: é cantado na poesia, analisado
na literatura, celebrado na dedicação generosa ao próximo. Ele é
festa e drama, luz e interrogação, paixão e ternura serena, desejo e
posse, contemplação e estímulo para a acção; busca de intimidade
e comunhão ou simples procura da própria felicidade, tornando-
-se, tantas vezes, o rosto disfarçado do egoísmo. Mas é quando
a realidade amada é outra pessoa, que o amor atinge a grandeza
digna do homem, pois aí os sujeitos do amor podem ser, ao mesmo
tempo, amantes e amados. O amor proporciona, então, o encontro
profundo entre pessoas, a construção de uma intimidade, a alegria
libertadora da comunhão. Mas, quando alguém reduz outra pessoa
a simples objecto amado, dá-se a degradação do próprio amor,
porque a pessoa do outro é desejada ou possuída como objecto
que gera algo de útil e agradável para o próprio: bem-estar, prazer,
utilidade pelo que faz ou significa. O caminho que nos leva do
amor à caridade é um longo percurso, que passa pela abertura
progressiva do nosso coração ao amor de Deus.
Conheça a reflexão e as propostas para esta semana que constam do guião O amor fonte da Missão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *