a Organização Mundial de Saúde e a Cruz Vermelha estão preocupadas com o aumento alarmante de casos de tuberculose multi-resistente na Europa de Leste e na Ásia Central.
a Organização Mundial de Saúde e a Cruz Vermelha estão preocupadas com o aumento alarmante de casos de tuberculose multi-resistente na Europa de Leste e na Ásia Central. a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Cruz Vermelha querem que os governos da União Europeia lutem contra o aumento alarmante de casos de tuberculose multi-resistente, nos países da Europa de Leste e na Ásia Central.
Segundo a Cruz Vermelha, cerca de 450 mil pessoas na Europa Oriental e na Ásia Central contraem este tipo de tuberculose e cerca de 70 mil morrem, sendo que 14 dos 20 países que têm mais taxa desta doença estão nestas duas zonas do mundo.
O mau uso dos medicamentos anti-tuberculose de segunda intenção, que constituem a última linha de defesa contra a doença, têm estado na origem da multiplicação de casos em alguns países.
Na Rússia e na Ucrânia, em especial, este problema tem-se agravado devido ao aumento acelerado da prevalência do vírus da SIDa, que baixa das defesas imunitárias e favorece o aparecimento da tuberculose multiressistente.
O secretário-geral da Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho explicou que esta resistência aos medicamentos constitui sem dúvida o desafio mais grave em matéria de tuberculose na Europa desde a II Guerra Mundial.
É por isso que insistentemente dizemos aos dirigentes europeus para reagirem energicamente sem a mínima demora, por que senão corremos o risco de a crise escapar ao nosso controlo, acrescentou, em comunicado, Markku Niskala.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *