“é Terrí­vel para nós não podermos dar protecção efectiva aos deslocados do Darfur devido à insegurança e às violações maciças dos direitos humanos”, afirmou antónio Guerres.
“é Terrí­vel para nós não podermos dar protecção efectiva aos deslocados do Darfur devido à insegurança e às violações maciças dos direitos humanos”, afirmou antónio Guerres. Este responsável referia-se em particular às tentativas de recrutamento dentro dos campos de refugiados, em particular de crianças.
No final da reunião anual da Comissão Executiva do aCNUR, que terminou hoje em Genebra e em que participaram representantes de 70 países, Guterres sublinhou que as medidas para controlar a imigração ilegal não devem afectar os direitos dos requerentes de asilo .
Sobre a vaga maciça de imigração em Espanha, o alto-comissário da ONU para os Refugiados assinalou que apesar de a maioria serem imigrantes económicos, também há pessoas que necessitam de protecção .
Reconhecemos o direito dos Estados a gerirem as suas fronteiras de uma forma responsável e a aplicarem as suas próprias políticas de segurança, mas também consideramos importante garantir a referida protecção .
No que diz respeito a refugiados, o português apontou os 200. 000 sudaneses do Darfur refugiados no Chade desde o início do conflito, em 2003.
E referiu também ao caso da Colômbia, onde a situação é muito preocupante, com mais de dois milhões de deslocados internos e milhares de refugiados na Venezuela, Equador, Panamá e Costa Rica .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *