Três jovens estrangeiros, sem mulher nem filhos surpreendem habitantes de bairro-de-lata.
Três jovens estrangeiros, sem mulher nem filhos surpreendem habitantes de bairro-de-lata. Quando o primeiro grupo de quatro missionários da Consolata chegou à Coreia do Sul, em Janeiro de 1988, tinha ideias bem claras quanto ao tipo e estilo de missão que queriam realizar. Eram e continuam a ser três as áreas de acção missionária: formação e animação missionária e vocacional, diálogo inter-religioso e a presença entre os pobres.
a comunidade de inserção entre os pobres tenta responder à missão como primeira evangelização. O grupo iniciou a experiência em Man-Sok-Dong, um bairro-de-lata em Incheon, diocese à qual pertencem. Esta presença durou sete anos. após alguns anos, conseguiram nova presença, desta vez em Seúl.
Não foi fácil. Muitos não entendiam o porquê de três jovens estrangeiros, sem mulher e filhos e sem qualquer actividade grandiosa, estarem ali entre eles. Em diálogo com os habitantes do bairro, os missionários decidiram criar uma sala de estudo para as crianças. Muitas delas não tinham possibilidade de frequentar os vários institutos que complementam os estudos da escola.
Com a ajuda de voluntários, conseguiram ajudar muitas crianças. Várias dificuldades levaram a que decidissem terminar agora esta presença. Tendo sido os primeiros sacerdotes católicos a viverem no bairro, a experiência atraiu o interesse das Irmãs de São Paulo de Chartres. Entraram no bairro e está para breve a chegada de um leigo missionário dos Franciscanos.
agora os missionários da Consolata procuram um local numa diocese diferente para continuar e aplicar a experiência acumulada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *