Saneamento básico e água potável chegam a mais 1,2 mil milhões de pessoas, desde 1990, adianta um relatório da UNICEF.
Saneamento básico e água potável chegam a mais 1,2 mil milhões de pessoas, desde 1990, adianta um relatório da UNICEF. O relatório Progressos para as Crianças: Um Relatório sobre Água e Saneamento, da UNICEF assinala que, entre 1990 e 2004, a cobertura global do abastecimento de água potável aumentou de 78 por cento para 83 por cento.
Os progressos alcançados até à data no aumento do número de pessoas com acesso a água potável tem sido impressionante, afirmou ann M. Veneman, directora executiva da UNCEF. Porém, a água insalubre e a falta de saneamento contribuem anualmente para causar a morte de cerca de 1. 5 milhões de crianças menores de cinco anos devido à diarreia.
O mesmo relatório estima em 1. 2 mil milhões o número de pessoas que passaram a ter acesso a saneamento básico desde 1990, tendo a cobertura global do saneamento aumentado de 49 por cento para 59 por cento.
apesar dos progressos louváveis, estima-se que 425 milhões de crianças menores de 18 anos continuem a não ter acesso a um abastecimento de água melhorado e mais de 980 milhões não têm acesso a um saneamento adequado, afirmou Veneman. a água limpa e o saneamento são pré-requisitos cruciais para uma nutrição melhorada, a redução da mortalidade infantil e materna, e o combate às doenças, esclarece também.
as doenças relacionadas com a água e o saneamento podem afectar a escolarização das crianças e o seu desempenho académico. as raparigas, em particular, podem ser demovidas de frequentar a escola pela necessidade de ir buscar e trazer água para as suas famílias, e pela falta de instalações sanitárias diferenciadas.
as instalações sanitárias melhoradas podem reduzir em mais de um terço a ocorrência de doenças diarreicas nas crianças mais novas, afirma o relatório.com melhores práticas de higiene, essas doenças podem ser reduzidas em dois terços.
Embora o mundo esteja no bom caminho para alcançar a meta da água, os progressos podem ser comprometidos se o abastecimento de água potável às comunidades mais pobres do mundo não for transformado numa prioridade, refere o documento.
O saneamento é um desafio ainda maior. apesar dos avanços significativos, o mundo não está a caminho de alcançar a meta do Objectivo de Desenvolvimento do Milénio para o saneamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *