é a sua primeira missão. Vai trabalhar em Águas Santas com jovens na animação missionária. Encara a sua integração de forma positiva, embora se trate de “um processo lento”.
é a sua primeira missão. Vai trabalhar em Águas Santas com jovens na animação missionária. Encara a sua integração de forma positiva, embora se trate de “um processo lento”. Kuzenza Daudi Faustine é um missionário da Consolata tanzaniano. Encontra-se em Portugal desde Fevereiro de 2006. Tem 36 anos e provém de uma família de oito irmãos.
Está a adaptar-se ao ambiente luso. Estuda a língua portuguesa apesar de sentir que “não é suficiente para entrar na cultura de um povo”. Define os portugueses como pessoas “simples, simpáticas, amigáveis e acolhedoras”.
é a primeira missão do padre Kuzenza fora da sua pátria. Vai estar em Águas Santas, no concelho da Maia. aí­ vai trabalhar com jovens na animação missionária. Encara a experiência como enriquecedora. Fala numa “disponibilidade total para o trabalho”. Espera ter desafios num “mundo diferente”, onde possa aprender coisas novas.
a ideia de ser missionário surge nele aos 16 anos, depois de terminar a escola básica. Frequentou o seminário diocesano de Makoko, na Tanzânia. Seguiu para o seminário dos missionários da Consolata, em Mafinga. Estudou teologia na Colômbia e filosofia no seu país, onde foi ordenado sacerdote a 14 de Julho de 2005.
” a vocação chegou até ao fundo de mim, de tal forma que já não sou eu que respondo. é Deus que responde em mim”, foi a expressão utilizada por este jovem missionário para explicar o desabrochar da sua vocação religiosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *