a missionária da Consolata assassinada em Mogadí­scio, a 17 de Setembro, foi sepultada em Nairobi. à cerimónia presidiu o bispo de Djibuti, Jorge Bertin.
a missionária da Consolata assassinada em Mogadí­scio, a 17 de Setembro, foi sepultada em Nairobi. à cerimónia presidiu o bispo de Djibuti, Jorge Bertin. as cerimónias fúnebres realizaram-se no Santuário de Nossa Senhora da Consolata, em Nairobi, Quénia. Presidiu à Eucaristia do funeral o administrador apostólico da Somália, o bispo de Djibuti. Jorge Bertin.
a missionária mártir foi sepultada no cemitério do hospital Nazareth, onde trabalhou durante vários anos. O cortejo fúnebre até à sepultura foi acompanhado por numerosas missionárias e missionários da Consolata e por uma grande multidão.
Missionária italiana, de 65 anos, irmã Leonella foi assassinada em Mogadíscio a 17 de Setembro. Saíra de casa e dirigia-se para o hospital, onde trabalhava e onde dirigia a escola de enfermagem. Quando atravessava a estrada foi abatida brutalmente por dois atiradores emboscados.
Consciente dos riscos que corria num país completamente à deriva como a Somália, irmã Leonella preferiu permanecer junto do povo somali que ela tanto amava. Pressentia a sua morte violenta, até ao ponto de dizer, ainda há pouco tempo: uma bala tem o meu nome. a sua última palavra antes de expirar, esvaída em sangue, que repetiu três vezes: Perdoo.
Na foto: Irmã Leonella na entrega de diplomas ao primeiro curso de finalistas da escola de enfermagem, no Verão passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *