Chamava-se Leonella Sgorbati, 65 anos, italiana de Piacenza. a missionária da Consolata foi barbaramente assassinada em Mogadí­scio, Somália, por dois homens armados.
Chamava-se Leonella Sgorbati, 65 anos, italiana de Piacenza. a missionária da Consolata foi barbaramente assassinada em Mogadí­scio, Somália, por dois homens armados. Chegada à Somália há cinco anos, trabalhava no hospital pediátrico “Children SOS”, no norte da cidade. Era enfermeira e professora do curso de enfermagem. Na manhã de domingo, 17 de Setembro, dirigia-se de casa para o hospital. ao sair da aldeia, em frente, onde vivem e estudam 400 crianças órfãs, foi vítima de uma emboscada. atingida no estômago e no coração, apesar de socorrida prontamente, sucumbiu pouco depois.com ela foi morto também o seu guarda-costas.
a sua missão terminou no hospital onde tantas vezes cuidou e consolou numerosos pacientes. aí­ iniciou o curso para formação de enfermeiras. Era uma das poucas pessoas que ajudava a população da capital da Somália neste tempo de guerra civil. Sacrificou a sua vida para assistir os outros.
Irmã Leonella é uma das cinco missionárias da Consolata que, apesar de avisadas pela embaixada italiana para abandonarem a Somália, decidiu permanecer, para estar ao lado dos pobres. Mulher de coração grande, missionário e alegre, espalhava consolação e ajuda à sua volta, numa cidade privada dos serviços públicos fundamentais.
a organização “SOS Children”, onde trabalham as Missionárias da Consolata, é muito prestigiada em toda a Somália. as suas instalações nunca foram saqueadas e o hospital foi sempre poupado pela guerra civil. Goza de grande respeito. as secções de maternidade e pediatria estiveram sempre abertas à população. é neste hospital que nascem a maior parte das crianças de Mogadí­scio, quase todas nos braços das irmãs missionárias.
Mesmo durante os períodos mais dramáticos da guerra civil, o hospital acolheu e tratou sempre as milícias de todas as facções. Lá foi operado o general Mohamed Farah aidid, um dos maiores protagonistas da Somália actual, vindo a falecer devido a graves ferimentos sofridos em batalha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *