Guilherme Oliveira Martins apresentou o saudoso Sousa Franco como figura exemplar da ideia bipolar “acção versus contemplação”.
Guilherme Oliveira Martins apresentou o saudoso Sousa Franco como figura exemplar da ideia bipolar “acção versus contemplação”. Sexta 15 de Setembro iniciaram-se as Jornadas Missionárias 2006. Decorrem no Centro Pastoral Paulo VI em Fátima. a palestra sobre ” a igreja e o mundo num dinamismo de missão segundo o Vaticano II” começou às nove e meia. Já se encontravam lá mais de meio milhar de participantes, que foram enchendo a sala, pouco a pouco.
após a abertura das Jornadas, por Manuel Quintas, presidente da Comissão Episcopal das Missões, seguiu-se a palestra de Guilherme de Oliveira Martins. O presidente do Tribunal de Contas começou por referir-se às intervenções no Concílio, do então bispo da Beira, Moçambique, Sebastião Soares de Resende.
Entrou no tema da sua palestra desenvolvendo os conceitos, “compromisso, serviço e missão”. aliou a ideia de serviço à de compromisso. Definiu o serviço “como uma ideia indispensável em toda a vida”, nomeadamente na vida profissional. Por sua vez, ligou “o serviço aos outros” à missão.
Oliveira Martins caracterizou a indiferença como o mais grave pecado da sociedade. a vida cristã tem o seu alicerce em dois pólos – acção e contemplação. São complementares um do outro e originam o compromisso. apresentou como modelo desta noção bipolar, a vida do seu amigo e saudoso Sousa Franco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *