a presença não desejada de forças estrangeiras no Sudão e na Somália foi um dos temas discutidos. O presidente do Chade mencionou a necessidade de independência.
a presença não desejada de forças estrangeiras no Sudão e na Somália foi um dos temas discutidos. O presidente do Chade mencionou a necessidade de independência. Os dirigentes de vários países africanos aproveitaram a ocasião do sétimo aniversário da União africana (Ua) para discutirem algumas dificuldades que afectam o continente.
O presidente Omar el-Béchir evocou a recusa do Sudão em ter forças das Nações Unidas em Darfour. Lembrou o apego do país à Ua. Os islamitas da Somália também afirmaram a sua rejeição da presença de forças estrangeiras no seu país. Uma guerra civil assola-o desde 1991.
O Jeuneafrique.com refere que o presidente do Chade, Idriss Debby, falou na necessidade de “independência económica”. “Não poderemos combater a pobreza e doenças se não formos independentes e não gerirmos nós mesmos a nossas riquezas “, explicou.
a imigração ilegal foi outro tema abordado. Mouammar Kadhafi, dirigente da Líbia, defendeu que a Europa teria de pagar 10 milhares de dólares a África, todos os anos, para acabar com a situação. Seria, segundo o mesmo, uma compensação pela exploração das riquezas e minerais africanos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *