O novo método para obter células estaminais, de cientistas americanos não responde às preocupações éticas da Igreja católica, afirma monsenhor Sgreccia.
O novo método para obter células estaminais, de cientistas americanos não responde às preocupações éticas da Igreja católica, afirma monsenhor Sgreccia. a academia Pontifí­cia para a Vida, principal autoridade do Vaticano em questões bioéticas considera que o novo método de obter células estaminais que não destrói os embriões, é uma “manipulação” que não responde às preocupações éticas da Igreja católica.
Monsenhor Elio Sgreccia afirmou à Rádio Vaticano que o método para obter células estaminais desenvolvido por cientistas da advanced Cell, em alameda, Califórnia, continua a representar uma forma de reprodução “in-vitro”. “E isso, de um ponto de vista que não é só católico, mas de um ponto de vista das razões bioéticas, é um factor negativo”.
Para este responsável, o método da advanced Cell “não resolve os problemas éticos”. Porque o novo método não tem em conta que mesmo aquela única célula removida pode teoricamente evoluir para um ser humano totalmente desenvolvido, defendeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *