algumas infectadas pelo ví­rus têm de lidar com o abandono dos maridos. 70 mulheres formaram uma associação para ajudar as vítimas.
algumas infectadas pelo ví­rus têm de lidar com o abandono dos maridos. 70 mulheres formaram uma associação para ajudar as vítimas. Quem sofre com a Sida acaba por ser descriminado. Em angola, não são só os vizinhos que discriminam as pessoas infectadas. as mulheres atingidas por esse ví­rus têm de enfrentar o abandono dos seus maridos ou companheiros.
“Ele disse que não podia continuar a viver com uma mulher seropositiva e acabamos por nos separar”, confessa amélia Paulo acerca do seu marido, de acordo com o notícias Lusófonas.
Esta mulher lamenta a sua separação e principalmente a morte dos seus dois filhos devido a Sida. Tendo descoberto muito tarde que estava infectada, não os pôde proteger.
amélia decidiu integrar um grupo de 70 mulheres que lutam contra a sida. assinaram recentemente a acta de constituição da associação das Mulheres Infectadas e afectadas pela Sida.
Em angola, existem, aproximadamente, 450 mil seropositivos. Possui a mais baixa taxa da africa austral. é importante que se evite um alastramento da doença. a associação pretende defender os direitos das mulheres infectadas e difundir informação acerca da doença. Neste país onde as jovens iniciam cedo a sua vida sexual e sem protecções, estas medidas tornam-se fundamentais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *