Os agentes já tinham sido proibidos, no ano passado, de manterem relações sexuais com jovens desse país.
Os agentes já tinham sido proibidos, no ano passado, de manterem relações sexuais com jovens desse país. após a ocorrência de alegações sobre o envolvimento de “Capacetes azuis”na prática de exploração sexual de congolesas, a Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo (MONUC) abriu um inquérito para averiguar essas mesmas.
Segundo informa o Jeuneafrique.com, as alegações referiam-se a uma rede de prostituição que incluí­a menores, localizada perto de “Capacetes azuis” no Kivu-sul, província do este do país. algumas das jovens afirmaram que agentes da MONUC foram seus clientes.
Em 2005, as Nações Unidas tinham resolvido proibir aos seus agentes de manter relações sexuais com raparigas congolesas nesse país, após a divulgação de abusos sexuais em menores de 13 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *