2600 minas “antipessoal” estavam instaladas em bairros periféricos à cidade. as populações não podiam utilizar as suas fazendas.
2600 minas “antipessoal” estavam instaladas em bairros periféricos à cidade. as populações não podiam utilizar as suas fazendas. após cinco anos de trabalho de Organizações Não Governamentais (ONG), a capital de Guiné-Bissau está livre de minas.
César de Carvalho, coordenador do Centro de acção anti-Minas, disse que tinham sido colocadas 2600 minas “antipessoal”, em bairros próximos da capital. Brá, Plaque e Enterramento foram os mais minados durante a guerra civil de 1988 a 1999.
Segundo a angolaPress, o mesmo explicou que este resultado era muito importante para as populações desses bairros, pois há sete anos que não podiam usufruir das suas fazendas e hortas.
Futuramente, o trabalho das ONG, das quais faz parte o Centro de acção anti-Minas, irá incidir no interior do país, onde estão à volta de dez mil minas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *