Esperam pelo julgamento do dia 14 de agosto. “Difamação do estado e propagação de falsas notícias” são as acusações que lhes são feitas.
Esperam pelo julgamento do dia 14 de agosto. “Difamação do estado e propagação de falsas notícias” são as acusações que lhes são feitas. O director de publicação do semanário nigerino “Le Républicain”, Maman abou foi inculpado por “difamação do estado e propagação de falsas notícias”.
após quatro dias de detenção em Niamey, o director e um dos seus jornalistas, Omar Keí¯ta foram inculpados por um juiz de instrução. Foram detidos em prisões diferentes onde ficarão até ao julgamento, que deverá ser no dia 14. abou encontra-se totalmente isolado numa prisão de Tera, no Oeste do Níger.
a associação Repórteres Sem Fronteiras reclamou, recentemente, da detenção de dois jornalistas da Nigéria, em meados de Junho. ambos estão a ser julgados por “conspiração, sedição e difamação”.
Segundo os advogados de abou e Keí¯ta, as revelações feitas por eles terão originado a situação. Informa a Panapress que recaí­am sobre um caso de desvio de fundos no Ministério da Educação Básica.
O Sindicato dos Jornalistas, em meados de Dezembro de 2005, apontou para um total de 125 profissionais da comunicação social presos no mundo. a China, Cuba, Eritréia e Etiópia são os causadores de dois terços dessas detenções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *