Em angola, algumas crianças que são acusadas de feitiçaria acabam por sofrer maus-tratos e ser abandonadas.
Em angola, algumas crianças que são acusadas de feitiçaria acabam por sofrer maus-tratos e ser abandonadas. Está a decorrer um workshop desde quinta-feira, em Luanda, por iniciativa do INaC (Instituto Nacional da Criança) sobre a importância das acusações de feitiçaria feitas a menores em angola.
Visa a protecção dos menores e a elaboração de um plano nacional para a protecção desses mesmos direitos. Beneficia da colaboração do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e do Ministério da assistência e Reinserção Social (Minars), entre outras instituições.
Segundo a angolapress, estas acusações de feitiçaria só se têm verificado desde o final dos anos 90. é resultado da transformação da organização da família e das relações que nela se instalam.
as crianças mais atingidas são, em geral, as mais desfavorecidas. acabam por ser vítimas de maus-tratos, violência, discriminação e mesmo abandono.
Para Guilhermina Prata, vice-ministra angolana da justiça, estes feitos abalam a garantia dos direitos dos menores. O arcebispo de Luanda, anastácio Kanhango, incitou os grupos religiosos a não concordarem com as acusações de feitiçaria no país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *