Pais de Sara Russo visitam-na num dos dias de feira do Campo de Trabalho Missionário. Destacam o crescimento pessoal e de valores da jovem.
Pais de Sara Russo visitam-na num dos dias de feira do Campo de Trabalho Missionário. Destacam o crescimento pessoal e de valores da jovem. Sara Russo foi uma das privilegiadas que teve a visita de familiares nesta semana de Campo de Trabalho Missionário. Precisamente, na feira de Ponte da Barca, os pais que estavam de férias, no Porto, fizeram-lhe uma pequena visita. E lá acabaram por comprar uma colecção de t-shirts (três, uma com o C de cada cor).
“é a única actividade que eu sinto que ela se dedicou de alma e coração”, diz o pai, órvil Russo referindo-se à participação da filha neste CTM e nas actividades ligadas à Consolata.
Importante para ele é “Não só crescer em valores mas na qualidade dos valores”.
Maria Margarida Russo, a mãe, salienta por seu lado o entusiasmo, e boa disposição da filha. Serviu a experiência missionária, também, para “cortar o cordão umbical. O modo de vida… sem as comodidades todas, faz-lhe bem, para ela distinguir e saber dar valor ao que tem”, refere.
Foi grande o entusiasmo de Sara Russo, logo que soube deste Campo de Trabalho Missionário, ainda que não soubesse exactamente o que ia fazer, contam os pais. E depois do primeiro dia ter custado um pouco, a levantar cedo, depois, segundo confidenciou aos pais, adaptou-se ao ritmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *