Manifestantes destruí­ram sete mesas de voto em Mweka. Os observadores que lá se encontravam foram deslocados para Kananga, por motivos de segurança.
Manifestantes destruí­ram sete mesas de voto em Mweka. Os observadores que lá se encontravam foram deslocados para Kananga, por motivos de segurança. Iniciaram-se, no dia 30, as votações para as eleições presidenciais e legislativas na República Democrática do Congo. Há mais de 40 anos que não se realizavam eleições democráticas e foram presenciadas por 25,5 milhões de eleitores.
Segundo a SIC, as urnas abriram às seis horas, mas, devido aos atrasos advindos, os eleitores só começaram a votar por volta das sete e vinte. Verifica-se a presença de muitos militares e policiais nas ruas, mas também de forças da ONU e da União Europeia.
O tamanho dos boletins de voto acabou por ser um factor de grande atraso, pois, existem 33 candidatos para a presidência e perto de dez mil para o parlamento.
a Rádio Renascença adianta que decorreu, entretanto, um incidente em Mweka, na província de Kananga. Manifestantes que pertenciam a diferentes partidos destruí­ram as sete mesas de voto da cidade. Estes achavam que a comissão eleitoral independente da RD do Congo seria responsável por “irregularidades”.
O grupo de observadores das eleições que lá se encontrava, já está em segurança em Kananga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *