Leigos Missionários da Consolata pensam formas de apoio a casal que regressa depois de seis anos em missão e de outro casal que regressa, também, de Moçambique.
Leigos Missionários da Consolata pensam formas de apoio a casal que regressa depois de seis anos em missão e de outro casal que regressa, também, de Moçambique. “Um casal regressa seis anos depois, vamos ajudar a inculturar-se, de novo em Portugal, na sua própria cultura. Há um trabalho grande a fazer, temos, também, que ser muito cautelosos, é preciso dar-lhes algum espaço e tempo para conseguirem integrar-se bem”, refere.
Para o Ricardo e a Elisabeth que partiram antes da entrada do euro “vai ser uma diferença muito grande. Lá estão a cem por cento no trabalho de missão, cá vão ter de sustentar uma casa, os filhos (três) e eles próprios”, salienta.
O grupo de Leigos que se encontra em Portugal está sensibilizado para apoiar o casal e pesquisar oportunidades de emprego.
Quando o casal sair de Moçambique não haverá nenhum casal que continuará o trabalho iniciado. No próximo ano regressa também o outro casal de LMC que, também, se encontra em Moçambique, Tina e Filipe.
“Neste momento, não temos ninguém para os ir substituir, chegou a haver uma possibilidade mas não se concretizou”, aponta. “O ideal seria que houvesse uma continuidade para que o trabalho que inicia não se perca”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *