O coração de allamano ultrapassou as fronteiras do seu ambiente e levou-o “a fundar uma família para dar a conhecer a consolação de Cristo”, afirmou o superior provincial da Consolata, em Fátima.
O coração de allamano ultrapassou as fronteiras do seu ambiente e levou-o “a fundar uma família para dar a conhecer a consolação de Cristo”, afirmou o superior provincial da Consolata, em Fátima. “Sois famílias, sois da família Missionária da Consolata”, afirmou Norberto Louro, na homilia da festa da Consolata a 25 de Junho. O encontro reuniu mais de duas centenas de familiares de missionários portugueses. São cerca de 40 a trabalhar em África, américas, Ásia e Europa, a maioria no Brasil e Moçambique.
Numa apresentação em imagens, explicada pelo padre Norberto Louro, os familiares puderam ver o seu missionário nas mais variadas situações de actividade missionária. a ideia que presidiu ao encontro é que os “familiares dos missionários são os maiores benfeitores do instituto”, como costumava dizer José allamano, seu fundador. Queria que os seus filhos fossem “uma família” e a ela juntava os familiares deles, que “se sentem orgulhosos, por terem dado um seu membro para o serviço da missão”, explicou Norberto Louro.
Na celebração da Eucaristia foram recordados os missionários da Consolata portugueses já falecidos, uma dezena, e os seus familiares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *