Desde o recenseamento de 1999 a população do Quénia aumentou de 30 para 33 milhões, afirmam as estatí­sticas oficiais.
Desde o recenseamento de 1999 a população do Quénia aumentou de 30 para 33 milhões, afirmam as estatí­sticas oficiais. Não obstante a SIDa, as carestias cí­clicas, as lutas tribais e outros males crónicos e causadores de muitas mortes, o Quénia continua a ter um crescimento demográfico que ronda o meio milhão de pessoas por ano. a notícia for dada há dias no Parlamento pelo ministro do Plano Ekwee Ethuro.
Para um país em vias de desenvolvimento e com um mínimo de infra-estruturas, um tal aumento populacional apresenta grandes desafios. Seriam necessárias centenas de novos centros de saúde e um sem número de novas escolas para dar resposta às necessidades mí­nimas deste povo. O apoio a mães e crianças é quase inexistente e os problemas de má nutrição e falta de cuidados higiénicos dão origem a muitas doenças e graves sofrimentos.
O governo enfrenta desafios bem superiores às possibilidades nacionais mas, graças a Deus, este povo não se atemoriza nem desanima facilmente. às vezes parece-me que sabe fazer nascer pão das pedras.
a palavra trinta-e-três é tradicionalmente usada como sinal de sorriso e alegria. Estou convencido que os trinta e três milhões de quenianos saberão continuar a sorrir embora as previsões sobre o bem estar social e individual não sejam lá muito animadoras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *