Os imigrantes são “a nossa prioridade do ad gentes na Europa”, afirma o representante da Comissão justiça e paz da província portuguesa do Instituto Missionário da Consolata.
Os imigrantes são “a nossa prioridade do ad gentes na Europa”, afirma o representante da Comissão justiça e paz da província portuguesa do Instituto Missionário da Consolata. Os imigrantes são “a nossa prioridade do ad gentes na Europa”. Não só no acolhimento e assistência pastoral “sobretudo em Itália, onde as irmãs estão muito comprometidas”, salienta o representante da Comissão justiça e paz da província portuguesa, padre Rocha. Questões como o tráfico humano, a prostituição e as pobrezas urbanas também foram analisadas neste terceiro encontro da Comissão de justiça e paz dos dois institutos presentes em Itália, Espanha e Portugal.
Em Portugal, os missionários, missionárias e leigos da Consolata têm desenvolvido um trabalho, nos últimos anos, no bairro do Zambujal. “O Zambujal é só porta de entrada, expressão de outro trabalho maior que existe”, explica apontando “os meios de comunicação e o trabalho de ligação com outras organizações”.
Mas um trabalho que não é ligado especificamente aos migrantes, antes às pobrezas urbanas, diferente do trabalho em Málaga, Espanha pelos missionários e leigos.
Os frutos destes encontros e do trabalho conjunto e em rede, já no terceiro ano consecutivo, são positivos, salienta o animador da Comissão justiça e paz da província portuguesa.
“Estamos a trabalhar bem. Esta reflexão e programação conjunta é muito boa para nós, aqui em Portugal”, refere.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *