Embora os conflitos que se têm feito sentir amedrontem os Guineenses, estes guardam a fé e confiança em Deus.

Embora os conflitos que se têm feito sentir amedrontem os Guineenses, estes guardam a fé e confiança em Deus.
a Páscoa não consegue trazer paz e alegria a toda a gente. Um missionário que, não se quis identificar, fez algumas declarações à MISNa, que ajudam a compreender o que se passa por esta altura na Guiné-Bissau.
Esse testemunho fala numa Páscoa triste, quando se refere às 20. 000 pessoas que vivem em Varela e Suzana, cidades do Noroeste do país. Essas zonas têm sido palco dos conflitos entre o exército Guineense e rebeldes Senegaleses. ” a população está triste, descontente e angustiada com a forma como o país é governado”, diz ele. acrescenta que muitos vivem no medo, nomeadamente, medo de falar.
Segundo outra fonte da MISNa, as pessoas têm vivido activamente este tempo da Páscoa, participando nas missas realizadas. Para ele, trata-se de uma demonstração de fé e confiança no auxí­lio de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *