Catorze mortos entre os quais seis membros do parlamento foi o resultado do impacto de um avião militar contra uma colina em Marsabit no norte do Quénia.
Catorze mortos entre os quais seis membros do parlamento foi o resultado do impacto de um avião militar contra uma colina em Marsabit no norte do Quénia. No verão de 2005 as lutas tribais entre os Gabras e os Boranas tinham resultado em mais de uma centena de mortos e desde então muitos, entre os quais a Igreja Católica, foram procurando modos de reconciliação e entendimento. O bispo de Marsabit, D. ambrósio Ravasi, missionário da Consolata tinha conseguido que se reunissem no Centro Pastoral da Diocese membros do governo, parlamentares e representantes das várias tribos do distrito para discutir uma paz duradoira. Tinha-se chegado à conclusão que o desenvolvimento e até mesmo a sobrevivência só são possí­veis num clima de paz. a delegação ida de Nairobi e que incluí­a todos os parlamentares da zona propunha-se colocar o ponto final nesse processo de paz entre povos. Deram a vida nesse esforço de pacificação.
é certo que tragédias e mortes não são solução aceitável para nenhum problema, mas também é verdade que com a morte prematura destes obreiros da paz se levantou no país um clamor insistente para que terminem as lutas tribais que eles tentavam resolver com a viagem em que perderam a vida.
Durante esta Semana Santa tiveram lugar os catorze funerais destes Heróis da Paz. Não me parece ousado comparar a perda destas vidas à entrega do Senhor Jesus em Sexta-feira Santa. Dizia ele: Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz”. assim seja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *