Bento XVI aponta o amor sem limites de Deus para com os homens que, o recusam.
Bento XVI aponta o amor sem limites de Deus para com os homens que, o recusam. “O amor do Senhor não conhece limites, mas o homem pode pôr-lhe limites. O que é que torna o homem imundo? é a recusa do amor, o não querer ser amado, o não amar. é a soberba que crê não precisar de nenhuma purificação que se fecha à bondade salvadora de Deus”, afirmou o Bento XVI durante a eucaristia de Quinta-feira Santa, Ceia do Senhor.
O papa demonstrou, através de Judas a recusa do “projecto salví­fico” de Deus, em Jesus Cristo.
“Em Judas vemos a natureza desta recusa ainda mais claramente”. “Ele julga Jesus segundo as categorias do poder e do sucesso. Para ele, só o poder e o sucesso são realidade, o amor não conta. E ele é avarento, o dinheiro é mais importante do que a comunhão com Jesus, mais importante do que Deus e o seu amor”, salientou.
Durante a celebração da ceia do Senhor, simbolicamente, Bento XVI fez o lava-pés a 12 homens leigos e recebeu, no ofertório, o resultado das dádivas a favor das vítimas das recentes derrocadas nas Filipinas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *