é preciso que os órgãos de comunicação de inspiração cristã utilizem o marketing para fazer render os seus jornais, defendeu Carlos Liz, e apresentem produtos de valor.
é preciso que os órgãos de comunicação de inspiração cristã utilizem o marketing para fazer render os seus jornais, defendeu Carlos Liz, e apresentem produtos de valor. Os órgãos de informação de inspiração cristã têm a mais valia da credibilidade para negociar publicidade. a hora é do marketing, defendeu Carlos Liz, especialista nesta área.
“Temos obrigação de ter técnicas melhores para servir Nosso Senhor”, salientou, apontando o marketing como instrumento e técnicas que fazem ouvir melhor a voz de Deus.como “a imprensa faz parte do mercado e o mercado faz parte da vida”, importa que se conheça quem são os leitores, o que gostam e o que gostariam de ler no jornal. Estas sugestões foram apresentadas num filme de entrevistas a alguns órgãos de comunicação de inspiração cristã, feitas na zona centro e sul do país.
“O consumidor é quem manda no mercado”, salientou o director geral da aPEME (Empresa de Estudos de Mercado). a estratégia é ” partir das necessidades e expectativas do consumidor ajustando continuamente a nossa proposta de valor”, aconselhou aos 73 participantes deste congresso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *