Um aumento na violência exercida pelos rebeldes maoí­stas seguiu-se ao levantamento do bloqueio geral das estradas que estes tinham declarado a 14 de Março. Numa semana mais de 54 pessoas morreram.
Um aumento na violência exercida pelos rebeldes maoí­stas seguiu-se ao levantamento do bloqueio geral das estradas que estes tinham declarado a 14 de Março. Numa semana mais de 54 pessoas morreram. O bloqueio teve grandes consequências para a população “privando-os dos meios de subsistência diária”, disse Ram Ekbal Choudhary, activista dos direitos humanos, à agência de notícias asianews. “Todos esperavam que a normalidade volta-se ao país. Mas parece que o país se tornou num verdadeiro campo de batalha e há medo por todo o lado”.
O bloqueio só foi levantado depois dos principais partidos políticos pedirem aos maoí­stas para o fazerem, alegando que impedia a população de trabalhar e de ganhar o seu pão de cada dia. Também havia medo de que o bloqueio desse ao rei Gyanendra uma razão para implementar mais medidas totalitárias e fazer uma “macabra militarização” do país.
“Só uma luta pacífica pode obrigar o rei a impedir o seu exército de brutalmente suprimir todos os protestos. O rei sabe que recorrer à força para suprimir a luta pacífica dos partidos e das pessoas pode alienar ainda mais a comunidade internacional e provocar mais protestos”, continuou Choudhary.
O activista dos direitos humanos confessou a sua preocupação devido ao aumento da violência, que pode ser uma desculpa para o rei usar a força contra a oposição, talvez até contra os partidos políticos. “até a comunidade internacional vai permanecer calada pois ninguém vai defender a violência praticada pelos maoí­stas”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *