Um homem afegão está a ser julgado num tribunal de Cabul por ter-se convertido do Islão ao Cristianismo.
Um homem afegão está a ser julgado num tribunal de Cabul por ter-se convertido do Islão ao Cristianismo. O convertido pode ser sentenciado à morte por recusar voltar atrás com a sua decisão. O julgamento de abdul Rahman reflecte a tensão entre a linha dura e os reformistas sobre a forma que o Islão vai tomar no afeganistão.
Rahman foi preso há um mês depois da sua família, com quem disputava a custódia de dois filhos, o ter denunciado como um convertido. O homem, de 41 anos, tinha em sua posse uma Bíblia e foi acusado de rejeitar o Islão.
Durante o julgamento admitiu ter-se convertido há 16 anos enquanto trabalhava como ajudante médico com um grupo cristão que ajudava refugiados afegãos no Paquistão. O procurador, abdul Wasi, afirmou ter oferecido retirar a acusação caso Rahman volta-se a converter-se ao Islão, mas ele recusou, sujeitando-se assim à pena de morte. O juiz do tribunal também descreveu a acção de Rahman como um ataque contra o Islão.
a sentença de morte para Rahman seria um precedente significativo de interpretação conservadora da lei islâmica em que se baseia a constituição do afeganistão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *