Perante o drama do desemprego uma das alternativas pode ser uma sociedade com ampla cobertura social, defende o coordenador das Semanas sociais, Manuel Porto.
Perante o drama do desemprego uma das alternativas pode ser uma sociedade com ampla cobertura social, defende o coordenador das Semanas sociais, Manuel Porto. as consciências não podem ficar sossegadas perante o drama do desemprego que afecta milhares de pessoas, de todas as idades.
“Por respeito para quem está em situações dramáticas de falta de colocação, não é sério ficarmos agarrados a ideias feitas ou atribuindo responsabilidades a quem, com realismo, não pode resolver todos ou a maior parte dos problemas”, afirmou o coordenador das Semanas sociais que hoje terminam em Braga.
Manuel Porto questionou o modelo social europeu tendo em atenção os números: “Temos o direito de o manter sem nenhuma alteração quando as estatí­sticas mostram que na “eurolândia” a taxa de desemprego é de 8,3 por cento, com uma taxa de crescimento que se queda por 1,6 por cento?”.
Por outro lado o bloco norte-americano e ainda que “criticável a muitos propósitos” apresenta “í­ndices de crescimento anual muito mais elevados ” 3,6 por cento ” e uma taxa de desemprego de 4,9 por cento, quase metade da “eurolândia””.
a solução ” aponta o coordenador das Semanas Sociais ” pode estar numa “sociedade com uma ampla cobertura social que permita, por isso mesmo, uma flexibilidade e uma participação maiores”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *