polícias mascarados e armados com armas automáticas tomaram de assalto as instalações do segundo maior grupo de meios de comunicação do Quénia esta quinta-feira.
polícias mascarados e armados com armas automáticas tomaram de assalto as instalações do segundo maior grupo de meios de comunicação do Quénia esta quinta-feira.com o assalto da polícia a emissão de televisão foi interrompida e cópias do jornal Standard foram queimadas. a acção policial teve lugar dois dias depois da detenção de três jornalistas que publicaram uma história sobre intriga Política envolvendo o presidente Mwai Kibaki e a frágil coligação que formou o governo.
a polícia, que segundo os média locais pertencia a uma força de elite, confiscou material de transmissão e discos dos computadores. Também forçaram a entrada na secção de impressão e queimaram milhares de cópias do jornal no exterior.
Os líderes da oposição e os média locais denunciaram a operação policial como um recuo para os dias do antigo presidente Daniel arap Moi. alguns vêm estes ataques como represálias contra os ataques dos média locais ao governo, denunciando casos de corrupção. Três ministros já tiveram que demitir-se.
Com o governo de Kibaki foi introduzida a liberdade de imprensa, mas muitos quenianos temem o regresso às tácticas repressivas usadas por Moi para silenciar os seus críticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *