ataque contra acampamento de missão da ONU no norte do país provocou a morte a uma dezena de militares e fez pelo menos mais 25 feridos. Secretário-geral da organização já condenou o ataque
ataque contra acampamento de missão da ONU no norte do país provocou a morte a uma dezena de militares e fez pelo menos mais 25 feridos. Secretário-geral da organização já condenou o ataque O secretário-geral das Nações Unidas, antónio Guterres, condenou veementemente o ataque que matou 10 militares da Missão de Estabilização da ONU no Mali (MINUSMa) e feriu outros 25, no passado domingo, 20 de janeiro, no acampamento da força de paz em aguelhok, na região de Kidal. Em comunicado divulgado pelo seu porta-voz, Guterres manifestou as suas sinceras condolências ao governo do Chade e às famílias e entes queridos dos falecidos e prestou tributo à dedicação e coragem dos homens e mulheres que servem na missão com grande risco pessoal e sacrifício. a proliferação de grupos armados que combatem as forças do governo e dos seus aliados nas áreas do centro e do norte do Mali após um golpe fracassado há seis anos, faz da MINUSM a a missão mais perigosa para os capacetes azuis. antónio Guterres pede, por isso, às autoridades do Mali, assim como aos grupos armados signatários do acordo de paz, que não poupem esforços para identificar os autores deste ataque, para que possam ser levados à justiça o mais rápido possível.