Três casos suspeitos de ébola colocaram o Sudão do Sul em «alerta máximo». país vizinho registou centenas de casos da febre hemorrágica
Três casos suspeitos de ébola colocaram o Sudão do Sul em «alerta máximo». país vizinho registou centenas de casos da febre hemorrágicaO Sudão do Sul encontra-se em alerta máximo e continua a registar progressos no crescimento da capacidade para detetar, investigar, prevenir e dar resposta a possíveis casos de ébola, referem os serviços de comunicação das Nações Unidas. Depois da ocorrência de três casos suspeitos, o país aumentou o nível de risco da Organização Mundial da Saúde (OMS), de alto para muito alto, de forma a poder lidar da melhor forma com a possível chegada e propagação de um surto.
até à última semana, a OMS confirmou 560 casos da doença na província de Kivu do Norte, na República Democrática do Congo, onde a doença continua a representar uma ameaça. as autoridades sul-sudanesas deram conta de três casos suspeitos de morte por ébola nos estados de Rio Yei e no município de Yambio, mas as amostras analisadas no Instituto de Vírus de Uganda deram negativo para a doença. No entanto, o acréscimo das medidas de preparação para lidar com a doença é considerado imprescindível com o aparecimento de novos casos no país vizinho.

Tal situação, a que se somam o movimento contínuo das populações entre os dois países, a incapacidade do sistema de saúde para dar resposta à doença e a instabilidade na região fazem aumentar o potencial de um surto no Sudão do Sul.com o objetivo de melhorar a mobilização social, a comunicação de risco, o envolvimento comunitário e a preparação de funerais seguros e dignos, membros de organizações como a Cruz Vermelha estão a analisar as experiências com os surtos do vírus na África Ocidental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *